Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Marília - SP e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura Municipal de Marília - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
NOV
24
24 NOV 2014
AGENDA CULTURAL
Museu de Paleontologia de Marília completa 10 anos de existência

O Museu de Paleontologia de Marília completa nesta quarta-feira (25 de novembro) 10 anos de existência. Inaugurado em 2004 pela Prefeitura de Marília – por meio da Secretaria Municipal da Cultura, é o segundo museu do interior do estado com exposição permanente de fósseis de animais que viveram no período Cretáceo, entre 65 e 80 milhões de anos atrás, sendo uma das grandes atrações turísticas e culturais do estado e do país dentro desse contexto.

O prefeito Vinicius Camarinha destacou a importância do museu para Marília. “Por meio do museu é mais uma forma de resgatar a história de um dos importantes períodos do planeta aqui em nossa região, com a descoberta de fósseis, além de levar o nome de Marília para todo o país, incentivando o turismo”, afirmou o prefeito Vinicius.

O museu reúne fósseis de dinossauros, crocodilos, tartarugas, peixes e outros organismos, coletados desde 1993 pelo historiador e paleontólogo William Nava, que também é curador da coleção e coordenador do museu.

 

O MUSEU

Com a divulgação na mídia dos fósseis encontrados por Nava, que despertavam a atenção e curiosidade das pessoas, a Prefeitura Municipal inaugurou em 25 de novembro de 2004, via Secretaria Municipal da Cultura e Turismo, o Museu de Paleontologia, tendo Nava como curador dos fósseis e coordenador do museu.

Representa uma grande contribuição ao conhecimento científico nacional e internacional na área da paleontologia. Pode-se dizer que o museu é uma extensão, um braço das pesquisas de William Nava, que trabalha sem equipe, solitariamente nos sítios paleontológicos existentes entre as regiões de Marília e Presidente Prudente.

O museu está localizado no centro da cidade, e vem se tornando um dos grandes potenciais culturais e científicos do estado, tendo em vista a raridade do material fóssil encontrado.

No museu podem ser vistos diversos ossos de dinossauros (principalmente de Titanossauros), fósseis de pequenos crocodilos e seus ovos fossilizados, peixes, troncos de árvores fossilizados, restos de tartarugas, banners ilustrativos, fotografias de expedições realizadas nos campos de pesquisa da região e mapa de ocorrências fossilíferas dentro do Grupo Bauru entre algumas atrações.

O Museu de Paleontologia desempenha importante papel no campo científico e também para o turismo da região. Tem como objetivo a busca e pesquisa dos fósseis, sua preservação, divulgação junto à comunidade local e regional, exposição do acervo de ossos, principalmente de dinossauros, que são o grande atrativo para o público e principalmente para crianças. O museu já recebeu milhares de visitantes de Marília e da região, bem como visitantes de todas as capitais do país e de aproximadamente 2000 cidades do Brasil, além de pessoas vindas de 79 países.

Pesquisas

O paleontólogo e coordenador do Museu de Paleontologia de Marília, William Nava, realiza há 21 anos um minucioso trabalho de escavação e coleta de fósseis nas rochas existentes na região de Marília, resultando em importantes achados para a Paleontologia brasileira.

As primeiras coletas de fósseis datam do início dos anos 90 e se referem a fragmentos ósseos identificados como pertencentes à saurópodes do grupo dos Titanossauros.

O incremento das pesquisas de Nava revelou inúmeros sítios fossilíferos datados do Cretáceo Superior por toda a região. A partir da descoberta de fósseis de crocodilos descritos como Mariliasuchus amarali, e Adamantinasuchus navae em rochas próximas ao vale do Rio do Peixe, foi possível concluir que a região tinha potencial para fósseis bem preservados.

De região desconhecida para a paleontologia até o início dos anos 90, Marília atualmente desponta como um dos grandes sítios paleontológicos do Brasil e América do Sul. Foram reconhecidos até o momento, dinossauros do grupo dos Titanossaurídeos (herbívoros) dinossauros terópodes (carnívoros), três espécies de crocodilos (Mariliasuchus amarali, Adamantinasuchus navae e uma ainda em estudos), anfíbios, dentes e restos ósseos de peixes, um pequeno lagarto Esquamata, além de microfósseis.

Dino Titã de Marília

Em 2009, foram descobertos fósseis de um dinossauro saurópode, reconhecidos mais tarde como um dos mais completos titanossauros já achados no Brasil. Esta descoberta inspirou inclusive a Rede Globo a produzir a novela Morde & Assopra, que foi ao ar em 2011.

Os trabalhos de escavação, envolvendo o Museu de Paleontologia de Marília, e as Universidades de Brasília e do Rio Grande do Sul, iniciados em 2011 e parcialmente finalizados em 2012 resultaram na coleta de mais de 50% do esqueleto do animal, reunindo ossos da cauda até vértebras do pescoço. O animal viveu na região há aproximadamente 70 milhões de anos.

Parcerias e Estudos

Diversos fósseis escavados na região estão depositados em instituições como Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Museu Nacional da UFRJ,  Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ),  Museu de Zoologia da USP, UNESP campus de Bauru-SP, Museu de História Natural de Taubaté-SP, e  UnB- Universidade de Brasília.

São parcerias técnico-científicas que buscam aprofundar a análise e estudo desses grupos de vertebrados fósseis.  Assim, o Museu de Paleontologia já foi citado em publicações científicas de Paleontologia, como: Geologia Colombiana (1999), American Museum Novitates (2006), Gondwana Research (2007)  Bulletin of Geosciences (2009), Academia Brasileira de Ciências (2011) Cretaceous Research (2012) e  Zootaxa (2013), entre outros, além de jornais de circulação nacional como Folha de S. Paulo, Estadão, O Globo/RJ: estaduais como  o Estado de Minas, Zero Hora,   Diário Oficial do Estado de S. Paulo, Diário Popular, além de centenas de jornais regionais distribuídos pelo Brasil afora.

Outra importante parceria é com o Governo do Estado, através da Secretaria da Educação dentro do programa do FDE -Fundação para o Desenvolvimento da Educação- Lugares de Aprender: a escola sai da escola, que traz anualmente mais de 5000 alunos para conhecerem o museu e os fósseis expostos, estimulando a curiosidade e disseminando o conhecimento de crianças e jovens de dezenas de cidades do interior paulista.

LOCALIZAÇÃO –  O Museu de Paleontologia está situado à Avenida Sampaio Vidal, 245, esquina com Avenida Rio Branco – prédio da Biblioteca Municipal, e fica aberto de segunda à sexta, temporariamente, das 11h30 às 17h30 horas, fone (14) 3413-6238, com entrada gratuita.

Assessoria de Imprensa

Foto: Lígia Ferreira

Secretarias Vinculadas
Seta
Versão do Sistema: 3.1.7 - 02/12/2021
Copyright Instar - 2006-2021. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia