Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Marília - SP e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura Municipal de Marília - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
DEZ
20
20 DEZ 2021
MEIO AMBIENTE E LIMPEZA PÚBLICA
Projeto AgroFloresta realiza a primeira colheita de alimentos
enviar para um amigo
receba notícias
Projeto está recuperando uma imensa área degradada pelas queimadas no Jardim Maracá, zona norte do município

Os coordenadores do Projeto AgroFloresta, João Carlos Tramarim, André Luis de Lima e Johnny Thiago Santana realizaram no último domingo, dia 19, a primeira colheita produzida no projeto, desenvolvido através do plantio de sementes crioulas de várias espécies, como milhos, feijões, quiabo, abóboras, caxi, maxixe, mandioca, dentre outras culturas, objetivando promover a sustentabilidade e a segurança e soberania alimentar no município.
O projeto, desenvolvido por ambientalistas e com apoio da Prefeitura de Marília, está recuperando uma imensa área degradada pelas queimadas no Jardim Maracá, zona norte do município, através do plantio de árvores nativas e alimentos produzidos com uso de sementes crioulas.
João Carlos Tramarim, coordenador do AgroFloresta em Marília, destaca a importância da primeira colheita.
“O Projeto AgroFloresta foi iniciado oficialmente em 29 de julho deste ano, onde recebemos as sementes crioulas das mãos do guardião José Luiz, vindas de Pauliceia. Sementes crioulas são sementes sem alterações genéticas e livres de agrotóxicos, ou seja, extremamente naturais, como cultivada há milhares de anos, antes das intervenções científicas. Isso garante a excelente qualidade do alimento. Quando chegamos nesta área, o solo estava degradado pelos anos de queimadas sofridas e pelo descarte de lixo provocado por alguns cidadãos alheios ao bom convívio social. Cinco meses depois, estamos com 4.500 árvores plantadas na área, quatro nascentes sendo preservadas e diversas culturas alimentares desenvolvidas. Com muito trabalho e dedicação conseguimos reverter esse quadro negativo, melhorando a qualidade de vida da população que reside nesta região”, disse o coordenador.
O secretário municipal do Meio Ambiente e de Limpeza Pública, Vanderlei Dolce, explica os impactos positivos do projeto e convida à população mariliense a participar das melhorias ambientais na cidade.
“Estamos procurando pessoas que queiram se envolver nas questões ambientais e tenham projetos para trabalharmos em conjunto. O Agrofloresta é um apelo mundial, em que cuidamos do meio ambiente e sustentamos famílias ao mesmo tempo. Isso tudo sem uso de agrotóxicos. Não temos mais tempo para esperar o planeta piorar para agirmos. Este é o momento para desenvolvermos ações que promovam o equilíbrio ambiental em nossa cidade, e nesta ação podemos fazê-lo, corrigindo a degradação ambiental através da produção saudável de alimentos, apoiando àqueles que precisam apenas de um pequeno incentivo para sustentar suas famílias. Orientamos àqueles que desejarem desenvolver um projeto de agrofloresta para que nos procurem para apoios e parcerias. Qualquer pequena sobra de área poderá se transformar em um grande projeto ambiental, desde uma horta urbana a um sistema agroflorestal, desenvolvendo a sustentabilidade e a segurança alimentar em nossa cidade. Sabemos que muitas famílias estão em dificuldades neste período de pandemia mas, juntos, podemos mudar essa história, cuidando de áreas ociosas e colocando alimentos saudáveis em nossas mesas”, afirmou o secretário.
Mais informações sobre projetos ambientais poderão ser obtidas através do telefone (14) 3408-6700.


Fotos: Divulgação

Seta
Versão do Sistema: 3.2.2 - 02/05/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia