Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Marília - SP e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura Municipal de Marília - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
JAN
03
03 JAN 2022
CULTURA
Parcerias entre a Secretaria da Cultura e artistas visuais promovem o graffiti e arte urbana na cidade de Marília
enviar para um amigo
receba notícias
O graffiti popularizou-se por ser uma expressão cultural das ruas, principalmente por transmitir mensagens de movimentos culturais

Durante o ano de 2021, a Secretaria Municipal da Cultura desenvolveu em conjunto com diversos artistas visuais atuantes na cidade de Marília painéis de graffiti, lambe-lambe e stencil, localizados em espaços públicos, como a Casa de Cultura “Cristovam Ruiz” (Av. Santo Antonio, 136), Viela Taia Sam (Rua Salvador Salgueiro) e Beco das Artes (Viaduto da Avenida Ipiranga).

Para o secretário da Cultura, André Gomes “o incentivo ao desenvolvimento do graffiti no município visa ampliar o contato da população com a arte. Os painéis são verdadeiras galerias a céu aberto, uma vez que estão dispostos em locais públicos. Essas intervenções artísticas, além de modificarem a paisagem urbana, proporcionam à população uma experiência estética no meio da correria do dia a dia.”

O graffiti popularizou-se por ser uma expressão cultural das ruas, principalmente por transmitir mensagens de movimentos culturais, com destaque ao caráter questionador das obras.

O uso da palavra como arte, acompanhada ou não de outros elementos visuais, aproxima o grafitti de outras manifestações artísticas, como a poesia concreta, que procura estruturar o texto poético escrito a partir da imagem, dada a utilização simultânea de frases e ilustrações.

CASA DE CULTURA “CRISTOVAM RUIZ”

Viabilizado com recursos da Lei Federal Aldir Blanc - Lei Federal nº 14.014/2020 durante o mês de agosto de 2021, os artistas Fabio Robal, Jaque e Yasmin Alves (Estúdio Nosotras), Isa, Feio e Jah (Crew “Fat Cap Clan”) realizaram uma grande intervenção artística na Casa de Cultura “Cristovam Ruiz”. Também participaram da ação os artistas Gui Lemos, Juliano Agostini e Luigi Cavalieri.

São seis painéis realizados com as técnicas do graffiti, stencil e lambe-lambe, que deram nova identidade à Casa de Cultura de Marília, transformando paredes brancas em arte.

A obra “O bobo da Corte”, de Fabio Robal, tem como mensagem principal uma crítica ao descaso que a cultura sofre no Brasil, violando o direito fundamental da população de acesso à cultura e ao lazer. Um bobo da corte segura uma balança que ilustra o desequilíbrio entre os impostos pagos e o quanto disso é direcionado a proporcionar cultura e lazer. Além do painel de graffiti, o artista Fabio Robal também realizou uma oficina com os jovens do regime de semiliberdade da Fundação CASA. No encontro, o artista introduziu os educandos nos conceitos da arte urbana além de proporcionar uma experiência prática, na qual os jovens puderam conhecer os materiais utilizados para fazer graffiti e se manifestar através das tintas.

O painel de stencil/lambe-lambe feito pelas artistas do Estúdio Nosotras faz parte do Projeto Ellas, pesquisa realizada ao longo de 2020 que reúne memórias de mulheres inspiradoras, dando destaque às suas biografias e retratos, abordando temas como o combate aos ciclos de violência, visibilidade feminina, feminismo e questões LBT’s.

No mezanino da Casa de Cultura, com o tema “O grafite é uma forma de arte viva”, o grupo Recreio Urbano, em parceria com o grupo de grafiteiros Crew “Fat Cap Clan”, estampou seus traços e cores nos muros internos da Casa de Cultura de Marília.

Além dos painéis realizados com apoio da Lei Aldir Blanc, a obra “O Astronauta” (2019) do artista Jonathan Sprada também dá vida e cor à Casa de Cultura através da arte, além de aguçar a imaginação dos visitantes ao se depararem com a imagem de um astronauta, no espaço sideral, calmamente tocando seu violão.

Os artistas Juliano Agostini, Luigi Cavalieri e Gui Lemos também contribuíram com graffitis que ressaltam a beleza da natureza, as relações humanas e a importância e força dos povos indígenas.

MAIS CORES PELA CIDADE

Além das ações realizadas na Casa de Cultura, a Secretaria Municipal da Cultura desenvolveu outras parcerias que resultaram em mais painéis de graffiti pela cidade de Marília.

No mês de setembro de 2021, a Casa de Cultura de Marília, em parceria com diversos artistas, entre eles Jah, Feio, Mariana, Isa e Brain, realizaram uma intervenção na viela da Rua Salvador Salgueiro – a Viela Taia Sam. A ação faz parte do projeto da Casa de Cultura “Atua Quebrada”, que tem o objetivo de incentivar e apoiar as comunidades em transformações artísticas em seus bairros. O painel de graffiti pintado no local deu novas cores e destaca a identidade da comunidade da Vila Barros. A ação também envolveu líderes comunitários e teve apoio do Vereador Ivan Negão.

Já no dia 11 de dezembro de 2021, ocorreu no Beco das Artes o projeto Beco Resistência, que tem como um dos objetivos a revitalização do espaço localizado no viaduto da Av. Ipiranga (altura da R. Rio Grande do Sul). O evento teve a participação dos artistas Jah, Isa, Feio, Gui Lemos, Paula (Stick Here), Luigi, Yasmin e Jaque (Estúdio Nosotras), Fabio Robal, entre outros, além de contar com o apoio da Secretaria Municipal da Cultura.

A temática que inspirou as obras de graffiti realizadas no Beco foi a Semana da Consciência Negra. Para tanto, o evento contou com a curadoria da professora, produtora cultural, escritora e slammer, Bruna Motta, que contribuiu com o conhecimento a respeito da identidade negra.

Os graffitis ilustram personagens protagonistas do movimento negro, como a ativista mariliense Artina Maria, importante nome no que se refere ao combate à violência contra a mulher, retratada pelo painel de Stencil e Lambe-Lambe do Estúdio Nosotras.

Há também referências a diversos movimentos da cultura negra, como o Hip Hop e os panteras negras, além do destaque a artistas pretos de renome, como os músicos Louis Armstrong e Nina Simone, representada por sua célebre frase “Liberdade é não ter medo”.

Segundo os produtores do coletivo, Edgar Espadoni e Kyrieh Ferreira, “o BECO cumpre sua função de Resistência, trazendo arte e cultura de forma democrática e gratuita no espaço mais adequado e visível possível, que é a rua”.

Visitação

- Casa de Cultura “Cristovam Ruiz Pereira” - Av. Santo Antonio, 136 - de segunda a sexta, das 09 às 12h e das 13h30 às 17h - (14) 3434-1889.
- Viela Taia Sam– R. Salvador Salgueiro, S/N (altura do nº 298)
- Beco das Artes – Viaduto da Avenida Ipiranga (altura da R. Rio Grande do Sul).

 

Fotos: Divulgação

Secretarias Vinculadas
Seta
Versão do Sistema: 3.2.2 - 02/05/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia