Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Marília - SP e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura Municipal de Marília - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
DEZ
16
16 DEZ 2021
EDUCAÇÃO
Projeto de apoio a educadores é concluído com ensaio fotográfico de professoras
Projeto “Pandemia, Ensino Remoto e Educação de qualidade: E do professor quem cuida?” foi encerrado no último dia 8

Foi encerrado no último dia 8 de dezembro o Projeto “Pandemia, Ensino Remoto e Educação de qualidade: E do professor quem cuida?”. E para comemorar o sucesso do projeto, o estúdio de fotos @suaessencia fotografias, presenteou as professoras com um belíssimo ensaio fotográfico.
O principal objetivo do projeto, que nasceu durante a pandemia do Coronavírus, foi a preocupação em relação ao professor em acolher emocionalmente, oferecer ferramentas para o autoconhecimento, a capacidade de lidar com frustrações, estar aberto a mudanças no percurso, de ter foco, saber se organizar, além de lidar bem com relações interpessoais.
“Nosso principal objetivo é de estar bem para acolher bem as crianças e suas famílias. Diante das incertezas que a situação de pandemia mundial trouxe para todos nós, essa foi nossa colaboração para o nosso grupo”, disse a professora coordenadora Esther Passos Honório Coutinho.
A execução do projeto teve importante apoio da diretora substituta Márcia Modesto e da supervisora Karina Carrião.
A professora Sandra Mara Gonçalves disse que o projeto a fez refletir e estar mais atenta com ela mesma. “Só podemos ajudar se estivermos bem também. As temáticas, palestras e os encontros com outros profissionais valorizaram cada ação proposta, sempre voltamos para o coletivo e o trabalho em equipe. Isso só faz crescer como pessoa e como profissional, conectados com esse novo momento num mundo globalizado.”.
“Esse projeto veio em um momento em que a ansiedade e a insegurança se fizeram presente entre nós. A Educação é por excelência o ambiente de acolhimento, cuidados e aprendizagem. Sentimo-nos acolhidas, cuidadas, e aprendemos muito. Esse aprendizado gerou frutos, pois, mais do que nunca entendemos que o trabalho com as crianças pequenas e bebês tem como base a empatia, a escuta, a acolhida, e o exercício dessas atitudes começam no relacionamento interpessoal, em uma visão de que somos todas necessárias e que as diferenças não nos afastam, mas nos unem, como elos de uma corrente, e que possamos permanecer em união em prol de nossas crianças, obrigada, Esther e Márcia por essa acolhida!”, disse a professora Lúcia Cristina.
A professora Andressa Cabral estava de licença maternidade quando iniciou a pandemia, retornou em meados de agosto/2020. “O projeto teve início em um momento muito crítico para mim, a ansiedade e a pressão estavam tomando conta de mim, a solidão também fez parte da minha rotina, pois o trabalho em home office exige muito da nossa mente e corpo. Sentir-se acolhida foi muito importante neste momento e todas as atividades tiveram como objetivo trabalhar o corpo e a mente, trabalhando a integralidade do ser humano. Penso que fazemos isso diariamente com nossos bebês e crianças bem pequenas, acolhemos todos com muito carinho, atenção e cuidado, assim como gostaríamos de sermos acolhidos enquanto seres humanos. Por isso afirmo, sem sombra de dúvidas, que este projeto foi um diferencial na nossa formação e na nossa vida”, disse.
“O início desse projeto marcou toda nossa equipe de trabalho, pois veio de encontro com nossas necessidades, não teria um momento mais oportuno como o que estávamos vivendo. Sentia-me ansiosa, angustiada e com muitas preocupações relacionadas ao trabalho e a questões particulares em decorrência da pandemia. O projeto foi como uma nova lente em que pude ver situações difíceis de uma nova maneira, perceber e priorizar afazeres e cuidados necessários para a preservação e manutenção da saúde e principalmente a saúde mental. Afinal, como sabemos, nosso papel primeiro é acolher e como o faremos não estando bem? Foram aprendizagens muito significativas que levarei para a vida nessa missão de cuidar e educar”, destacou a professora Elisângela Érica.
Para a professora Edna Demori, “O foco do projeto foi cuidar de quem cuida, para que os serviços prestados à população sejam cada vez melhores e mais adequados e o nosso profissional seja realmente respaldado com o cuidado da saúde dele”, disse.
O trabalho com as competências emocionais e o desenvolvimento de um olhar atento para as suas próprias emoções e do outro, assim como o autocuidado, foram ferramentas que possibilitaram o autoconhecimento e, consequentemente, o conhecimento do outro, permitindo maior zelo nas relações e equilíbrio emocional para lidar com situações desafiadoras como a atual.
O carinho e cuidado com educadores foram de extrema importância, pois sabemos que muito do aprendizado está ligado às emoções. Se o educador não estiver bem, ele não conseguirá ensinar, acolher e perceber a necessidade de cada criança.

 

Fotos: Divulgação

Seta
Versão do Sistema: 3.2.2 - 02/05/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia