Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Marília - SP e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura Municipal de Marília - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
SET
09
09 SET 2022
ASSISTÊNCIA SOCIAL
Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social leva Dr. Rigolin para falar sobre Doença de Alzheimer
enviar para um amigo
receba notícias
Evento, realizado no CRAS Teotônio Vilela, fez parte do Setembro Lilás, mês de conscientização do Alzheimer
A sensibilização da família em relação ao envelhecimento, o combate ao preconceito e o diagnóstico precoce podem aumentar a qualidade de vida de quem convive – ou irá conviver – com a Doença de Alzheimer. 

Nesta quinta-feira, dia 8, usuários do SCFV (Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos) acima de 60 anos do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) Teotônio Vilela tiveram a oportunidade participar, ativamente, de roda de conversa com o geriatra e gerontólogo, Dr. Valdeci Rigolin, fazendo perguntas, tirando dúvidas, compartilhando experiências e vivências. 

Mestre em reabilitação, professor e pesquisador do Centro de Estudos do Envelhecimento, Geriatria e Gerontologia da Famema (Faculdade de Medicina de Marília), Dr. Rigolin é também um ativista pela informação prevenção e diagnóstico precoce da doença de Alzheimer. 

Ele destacou a importância de incluir a pessoa com Alzheimer na família, no cotidiano, enfatizando que “o Alzheimer não tem cura, mas podemos conviver de uma maneira mais tranquila, conhecendo os sintomas”.

A secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Wania Lombardi, ressaltou o quanto é importante promover os cuidados com a saúde mental e informar a população sobre a Doença de Alzheimer.

“É fundamental quebrar preconceitos e falar sobre o problema sem estigmas, pois um número enorme de doentes desconhece que sofre do mal e a família, às vezes, é a última a perceber que aquele simples esquecimento é, na verdade, um sintoma da doença. O trabalho do Dr. Rigolin é tão significativo e relevante que estamos em tratativas com a equipe dele para levá-lo para palestrar em nossos outros serviços”, afirmou a secretária.


Fotos: Divulgação
Seta
Versão do Sistema: 3.2.9 - 07/12/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia