Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Marília - SP e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura Municipal de Marília - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
ABR
26
26 ABR 2021
ETE
Com as estações de tratamento de esgoto, Marília deixa de jogar 1,3 milhão de litros de dejetos por hora nos rios
enviar para um amigo
receba notícias
Bacias do Pombo, do Barbosa e do Palmital foram construídas durante a gestão do prefeito Daniel Alonso

Com a entrada em funcionamento das Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) Pombo, Barbosa e Palmital, construídas na gestão do prefeito Daniel Alonso, Marília deixou de despejar, por hora, cerca de 1,3 milhão de litros de dejetos sem qualquer tratamento nos mananciais do município.
A quantidade é suficiente para encher mais de 13 piscinas olímpicas a cada 24 horas, segundo o Painel Saneamento Brasil, produzido pelo Instituto Trata Brasil, com base em informações públicas.
Em 2018 – ano com dados disponibilizados mais recentes – Marília coletou 12,1 bilhão de litros de esgoto produzidos por seus habitantes, o equivalente a 33,1 milhões de litros por dia, 1,3 milhão de litros por hora.
Até a construção das ETEs do Pombo, Barbosa e Palmital, o volume ia “in natura” para os leitos d’água – o que gera uma série de impactos ambientais e sociais. Com a inauguração das estações, os dejetos coletados já passam a receber tratamento.
O meio ambiente e a população têm muito a comemorar, já que em poucos anos Marília, finalmente deixou para trás uma condição medieval de lidar com o saneamento básico.
A última das três ETEs – a do Palmital – foi inaugurada em dezembro de 2020. Quando Daniel Alonso (PSDB) assumiu a Prefeitura, em 2017, o esgoto produzido em Marília era 100% lançado “in natura” nos mananciais.
Com a conclusão das duas primeiras ETEs, cerca de 70% passou a ser tratado. Agora a totalidade dos dejetos é processada com a entrega da Estação da Bacia do Palmital.
Ao todo, o sistema tem capacidade para tratar 1.112 litros por segundo. Isso é praticamente três vezes mais do que a produção de esgoto na cidade em 2018.
“É realmente a obra do século e que foi realizada pela nossa gestão, trazendo mais saúde e qualidade vida à população mariliense. Com o esgoto 100% tratado, vamos também atrair novas empresas para Marília, gerando mais renda e emprego para a nossa população”, disse o prefeito Daniel Alonso.


Colaboração de texto: Site Marília Notícia

Fotos: Assessoria de Imprensa PMM

Seta
Versão do Sistema: 3.2.5 - 03/08/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia